IAPAR

28/06/2018

Lançamento de livro, nova cultivar de trigo e inaugurações marcam os 46 anos do IAPAR nesta sexta-feira (29)

Lançamento de livro, nova cultivar de trigo e inaugurações marcam celebração dos 46 anos do IAPAR nesta sexta-feira (29)(28/06/2018) O Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR) abre as portas de sua sede, em Londrina, na manhã desta sexta-feira (29) para a celebração de seus 46 anos de fundação. Lançamentos de livro e de cultivar de trigo, inaugurações, homenagens e premiação dos vencedores do projeto “Vigilantes do Amanhã” são os destaques do dia. A governadora Cida Borghetti e o secretário de agricultura, George Hiraiwa, são esperados para o evento.

A programação começa às 8h30m com a reunião anual do Conselho de Administração. O colegiado é constituído pelas principais instituições do segmento agropecuário paranaense, como a Secretaria de Agricultura e Abastecimento (Seab), Federação da Agricultura (Faep), Federação das Indústrias (Fiep), Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetaep), Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), Associação de Produtores de Sementes (Apasem), Sociedade Rural do Paraná (SRP), Secretarias de Estado da Agricultura (Seab), Ciência e Tecnologia (Seti) e Planejamento (Sepl), entre outros.

Às 10 horas será inaugurado o prédio construído para abrigar o laboratório de solos e a reforma da unidade de beneficiamento de sementes, que foi ampliada e modernizada.

As atividades prosseguem com o lançamento do livro “Cultivo da Seringueira no Paraná”, primeiro e único do país sobre o tema, fruto de anos de pesquisa do IAPAR, de autoria dos pesquisadores Jomar Paes Pereira, Alex Carneiro Leal e André Medeiros Ramos.

Segue-se o lançamento da nova cultivar de trigo IPR Potyporã, desenvolvida em parceria entre o IAPAR e Fundação Meridional, entidade privada que reúne empresas de sementes de vários estados brasileiros e que busca na pesquisa pública alternativas aos monopólios tecnológicos das grandes multinacionais.

Também será concluído na sexta-feira, com a assinatura de sua regulamentação, o processo de implantação da Política de Inovação do IAPAR, que incorpora dispositivos da legislação federal e estadual para dar mais flexibilidade à realização de parcerias com o setor privado.

Finalizando, haverá o anúncio dos vencedores do projeto “Vigilantes do Amanhã”, um concurso de fotos legendadas sobre a importância da preservação do solo e os perigos da erosão urbana e rural que mobilizou 12 turmas de 7º ano de escolas estaduais da região nos meses de maio e junho. Parceria do IAPAR com o Núcleo Regional de Educação de Londrina e página “Folha Cidadania”, da Folha de Londrina, o projeto foi lançado na ExpoLondrina 2018 pela governadora Cida Borghetti e pela secretária de Educação Lúcia Cortez.

RESULTADOS – Instituído em 29 de junho de 1972, o IAPAR é um centro de pesquisa agropecuária vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná (Seab).

Nesses 46 anos de atividades, a atuação do IAPAR foi marcada pelo pioneirismo em várias frentes, como o desenvolvimento cultivares de feijão tolerantes ao mosaico dourado, uma das principais doenças da cultura no Brasil, e de maçãs para regiões de inverno ameno, atualmente cultivados em todos os Estados do Sul do Brasil, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e até na Bahia.

O pioneirismo se estendeu ainda aos citros. Foram estudos desenvolvidos nos laboratórios e campos experimentais do IAPAR que que possibilitaram ao Paraná desenvolver essa cadeia produtiva e a inserção do Estado no cenário nacional e internacional de frutas cítricas.

Na pecuária de corte, o IAPAR criou a primeira raça paranaense – e também a primeira no Brasil originada em um centro estadual de pesquisa – o Purunã. Os cruzamentos foram iniciados em 1985, visando um animal capaz de produzir carcaças de elevado padrão, com baixo custo e que ficassem prontos para abate em pouco tempo. Para alcançar esses objetivos, os pesquisadores partiram de cruzamentos controlados envolvendo animais puros das raças Aberdeen Angus, Canchim, Caracu e Charolês.

O IAPAR foi ainda um dos precursores nas pesquisas com plantio direto no Brasil. A instituição mal iniciara suas operações, no início da década de 1970, quando os pesquisadores enfrentaram o problema da erosão, que devastava propriedades agrícolas, rios e córregos do Paraná. Com abordagem em microbacias, desenvolveram e adaptaram métodos de terraceamento e cultivo mínimo que possibilitaram recuperar milhares de hectares de solo cultivado e inspiraram projetos similares em outras regiões brasileiras e também na América Latina e na África.

Na produção cafeeira, registre-se o esforço para a recuperação da cultura no Estado após a famosa geada de 1975, com o desenvolvimento do modelo de plantio adensado e foco na qualidade da bebida.

A equipe do programa café também trabalhou, em parceria com entidades nacionais e internacionais, no sequenciamento do genoma da planta e, atualmente, estuda o mecanismo de formação dos frutos, em busca de grãos que deem bebida com características diferenciadas de aroma, corpo, sabor e acidez.

Desde 2013 o IAPAR oferece ainda um curso de mestrado, com grade curricular que privilegia a produção ambientalmente sustentável.

ESTRUTURA E PROJETOS – A instituição está presente em todo o Paraná. Sua estrutura conta cinco unidades regionais (Curitiba, Ponta Grossa, Paranavaí, Pato Branco e Santa Tereza do Oeste), 20 fazendas experimentais, três unidades de beneficiamento de sementes, 25 laboratórios de diferentes áreas de especialidade e 28 estações agrometeorológicas (também utiliza dados de outras 43 estações do Sistema Meteorológico do Paraná-Simepar).

As atividades do IAPAR são organizadas em 15 programas temáticos: agroecologia, café, cereais de inverno, cultivos florestais, energias renováveis, feijão, fruticultura, gestão da inovação, integração lavoura-pecuária, milho, pecuária de leite e de corte, propagação vegetal, raízes e tubérculos, recursos naturais e sistemas de produção.

Nesses programas são realizados 220 grandes projetos de investigação científica, que se desmembram em 690 ensaios de campo espalhados por todo o Paraná, executados em estações experimentais próprias e em áreas de universidades, cooperativas, centros de pesquisa e outros parceiros.

Trabalham no IAPAR 510 servidores, sendo 97 deles pesquisadores. Atuam ainda na instituição outros cerca de 650 voluntários, bolsistas, estagiários e trabalhadores temporários.

CAMINHOS DA AGROINOVAÇÃO – O evento de celebração dos 46 anos do IAPAR integra a campanha “Paraná 2018 – Caminhos da Agroinovação”, que prevê atividades em todas as regiões do estado, durante o ano, visando a divulgação e fortalecimento da pesquisa pública agropecuária paranaense.

A campanha, uma parceria entre IAPAR e Associação dos Engenheiros Agrônomos de Londrina, é patrocinada pela Faep, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Banco Regional do Extremo Sul (BRDE), Ocepar, Parque Tecnológico de Biociências de Toledo (Biopark), Cooperativa Agroindustrial de Maringá (Cocamar), Itaipu Binacional e Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-PR).

SERVIÇO
Eventos comemorativos do 46º aniversário do IAPAR
Data: 29 de junho, sexta-feira
Local: sede da instituição, em Londrina (rodovia Celso Garcia Cid, km 375 – saída para Curitiba)
Programa:
8h30 – Reunião do Conselho de Administração do IAPAR
A partir das 10h:
– Inauguração do laboratório de solos/entrega da reforma da unidade de beneficiamento de sementes
– Apresentação da nova cultivar de trigo IPR Potyporã
– Lançamento do livro “Cultivo da Seringueira no Paraná”
– Premiações do projeto “Vigilantes do Amanhã”
– Assinatura da regulamentação da Política de Inovações do IAPAR
– Homenagens e pronunciamentos


Serviço de Imprensa do Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR)
Edmilson Gonçales Liberal (MTb 4782/PR)
Tel: 43 3376-2465 / Correio eletrônico: imprensa@iapar.br
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.