Agroecologia

Líder do Programa: Dirk Claudio Ahrens

 O Que Faz

O Programa de Pesquisa em Agroecologia – PAG foi criado em 2004, com a finalidade de congregar e coordenar ações de pesquisa, visando promover sistemas sustentáveis de produção agroecológica, incluindo a orgânica. Atua junto aos demais projetos de pesquisa do IAPAR, promovendo e estimulando a proteção da biodiversidade dos agroecossistemas, respeitando os ciclos biológicos e favorecendo a atividade biológica do solo. Pela ação do Programa, também busca a otimização e redução no uso dos insumos externos e em métodos que recuperem, mantenham e promovam o equilíbrio dos sistemas, considerando as diferentes dimensões da sustentabilidade. Assim procuram-se resultados que proporcionem condições mais favoráveis ao agricultor, ao consumidor e ao meio ambiente, envolvendo os aspectos sociais, técnicos, econômicos, ecológicos e políticos.Nestes primeiros anos após sua implantação o PAG tem procurado promover a institucionalização das questões relacionadas à Agroecologia, estimulando as discussões internas sobre o tema e a participação dos pesquisadores e técnicos em treinamentos e eventos científicos da área. Esse esforço institucional resultou na incorporação de ações efetivas de pesquisa relacionadas à Agroecologia em grande parte dos projetos de pesquisa em todos os programas.


  Objetivos

  • Gerar e adaptar tecnologias, considerando a aplicação dos conceitos e princípios da ecologia, num processo participativo de construção de conhecimento, com enfoque sistêmico, no manejo de ecossistemas sustentáveis;
  • Contribuir para o desenvolvimento do estado do Paraná via proposição de tecnologias recuperadoras e/ou poupadoras de recursos naturais, e que contribuam para a saúde econômica e social das distintas regiões do estado;
  • Reduzir o impacto ambiental dos sistemas de produção agropecuário, agroflorestal e silvipastoril; aprimorar os sistemas de produção agroecológicos e orgânicos certificados;
  • Subsidiar a formulação de políticas públicas para a redução do impacto da produção agrícola sobre o meio ambiente e de políticas para o crescimento da produção agroecológica e orgânica certificada

Linhas de Pesquisa

Desenvolvimento de tecnologias de processo e de produto para a produção orgânica certificada, incluindo: o uso e manejo de microrganismos de solo (rizóbios e micorrizas); o controle biológico e/ou botânico de pragas; o monitoramento e controle de doenças fúngicas em café; o controle de doenças da batata em produção orgânica; o desenvolvimento de variedades resistentes a doenças e pragas; o controle de endo e ectoparasitas com produtos permitidos pelas normas de produção orgânica.

  • Manejo de sistemas de produção: pela conversão para a agricultura orgânica ou de base ecológica em sistemas centrados em café (arborização, manejo nutricional); pela migração para a pecuária leiteira orgânica ou de base ecológica; pela mudança para a agricultura orgânica ou de base ecológica em sistemas centrados em soja em plantio direto (controle de plantas invasoras); pelo acompanhamento técnico e econômico de propriedades de referência em manejo orgânico ou de base ecológica.
  • Avaliação e redução do impacto ambiental em sistemas de agricultura convencional: utilização de resíduos líquidos da produção industrial de suínos e de lodo de esgoto; decomposição de pesticidas no solo; contaminações de nascentes, córregos, rios.
  • Treinamento de técnicos e produtores envolvidos em iniciativas de produção orgânica ou de base ecológica de diferentes culturas.
  • Desenvolvimento e aprimoramento da percepção social sobre a interface agricultura / meio ambiente envolvendo o consumo consciente e o mercado solidário.

Linhas Potenciais de Ação

  • Otimização do uso de biomassa nas unidades de produção agrícola.
  • Melhoria da integração entre a produção animal e vegetal na unidade de planejamento (propriedade agrícola, microbacia, cooperativa).
  • Controle de pragas e doenças em hortaliças, sobretudo para plantas de frutos (tomate, pimentão, pepino) e tubérculos (batata, cebola).
  • Estudo do plantio direto no controle de invasoras em hortaliças.
  • Teste de máquinas e equipamentos para explorações de pequeno e médio porte.
  • Estudo de instalações e manejo para a produção animal adequados aos princípios e normas orgânicas.
  • Investigação sobre produtos alternativos para alimentação de aves e suínos.
    • Desenvolvimento de padrões tecnológicos para o processamento de produtos animais que sejam acessíveis a pequena e média escala de produção e garantam a proteção da saúde do consumidor.
    • Realização de trabalhos sobre economia da produção orgânica e da agricultura de base ecológica.

    Principais Resultados

    • Um parasitóide (Hymenoptera: Braconidae) de moscas-das-frutas foi identificado pela primeira vez em frutos de goiaba, no Litoral do Paraná.
    • O ensacamento de goiabas (TNT e papel branco encerado) contribuiu para o controle ecológico de moscas-das-frutas.
    • Foram realizados estudos dos aspectos biológicos de parasitóides (Trichogramma pretiosum e Trichogrammatoidea annulata) para controle da broca-do-abacate (Stenoma catenifer).
    • Extratos de folhas e do óleo de nim, Azadirachta indica (Meliaceae), atuam sobre o oídio do tomateiro.
    • Extratos de sementes de nim, Azadirachta indica (Meliaceae), controlam o oídio do feijoeiro e o seu óleo foi eficiente no controle da mancha angular do feijoeiro.
    • Extratos de sementes de nim e óleo de nim, causam mortalidade de broca-do-café, (Hypotenemus hampei), e reduzem o ataque de frutos em laboratório.
    • Extratos de sementes, de folhas e óleo de nim, causam mortalidade em ovos e lagartas e reduzem o número de ovos colocados pelo bicho-mineiro, Leucoptera coffeella.
    • Bioterápico pode controlar a pinta preta do tomateiro em casa de vegetação.
    • Extrato de acácia in vitro controla helmintos gastrintestinais (Haemonchus contortus) em ovinos.
    • Há possibilidade de controle da infestação natural por carrapatos (Boophilus microplus) em bovinos com o uso de isoterápicos.
    • O uso de nosódio, junto com o sal mineralizado, controla a infestação natural por carrapatos em bovinos.
    • O estudo sobre o mercado de orgânicos no Paraná foi caracterizado e mostrou suas tendências.
    • Agricultores familiares conseguem produzir sementes de culturas de cobertura de verão, com algumas orientações básicas, como prática conservacionista.
    • Uma das estratégias de fortalecimento da relação entre produtores e consumidores agroecológicos é a melhor gestão do processo da comercialização.
    • O auto-consumo e a diversificação são relevantes na sustentabilidade da agricultura familiar agroecológica.
    • À sombra obteve-se café com maior quantidade grãos de maior tamanho em relação aos cafeeiros produzidos a pleno sol.
    • A infestação de broca na projeção da copa das árvores, no sistema agroflorestal café arborizado, foi superior à observada no ambiente a pleno sol.
    • A aplicação de matéria orgânica aumenta a densidade de raízes de pupunha cultivada para produção de palmito.
    • A cultivar de batata IAPAR Cristina é adequada para a produção no sistema orgânico.
    • A produção de massa seca de Tifton 85 aumenta em função de doses crescentes de dejeto líquido de suínos.
    • A utilização de dejetos líquidos de suínos como fonte de adubação de nitrogênio e fósforo aumenta a produção de feijão e soja sob sistema de plantio direto.
    • A produção de massa seca do nabo forrageiro aumentou e a produção de grãos da espécie diminuiu com a aplicação do dejeto suíno no sistema de plantio direto, em latossolo vermelho distroférrico.
    • Fosfato natural e calcário aumentam a produção de biomassa da parte aérea de adubos verdes de inverno e verão.
    • No plantio direto de milho e feijão, em produção orgânica, o rendimento de grãos do milho e feijão foi maior na cobertura com adubos verdes que em pousio. A cobertura morta de aveia foi eficiente na supressão das plantas daninhas no feijão.
    • O capim papuã, se manejado adequadamente para manter o solo coberto no intervalo dos cultivos (pousio), apresenta potencial para ciclagem de nutrientes, em solo ácido após calagem e fosfatagem.
    • A roçada manual ou motorizada são alternativas de controle de plantas espontâneas em plantio direto de milho.
    • Uso da cobertura dos canteiros com jornal e composto esterilizado controla ervas em cenoura (Daucus carota L.).
    • Coberturas verdes consorciadas com milho reduzem a presença de plantas daninhas apenas no final do ciclo.
    • Sistemas agroflorestais com seringueira e café melhoram as condições sócio-econômicas de propriedades familiares rurais no Arenito Caiuá - Paraná.
    • O consórcio com leguminosa arbórea (Leucaena diversidolia) e seringueira (Hevea brasiliensis) propícia maior aporte de matéria orgânica, melhor cobertura do solo, diversificação da produção (borracha e lenha) no Nordeste do Paraná.
    • A reposição de nitrogênio pode ser realizada via sistema silvipastoril (Tanzânia e Leucena) em unidades familiares com produção orgânica de leite e grãos, em Medianeira, no Oeste do Paraná.



    »
    Projetos conduzidos no programa agroecologia - PAG



    » Equipe de pesquisadores

    » Publicações
    Recomendar esta página via e-mail: