Recursos
 
 Líder do Programa: André Luiz Medeiros Ramos

O Que Faz

O Programa Recursos Florestais tem por objetivo a realização de trabalhos de pesquisa e desenvolvimento visando contribuir para o aproveitamento racional de espécies florestais nas propriedades rurais do Paraná, cumprindo funções de proteção e recuperação dos recursos naturais e de produção econômica ( madeira, energia, látex, folhas etc ).

Linhas de pesquisa

* Introdução, coleta, avaliação e conservação de germoplasma de espécies florestais, para uso em sistemas agroflorestais ou talhões puros, e em recuperação e proteção de áreas degradadas.
* Estudo e desenvolvimento de sistemas agroflorestais.
* Estudos em tecnologias de propagação e manejo de recursos florestais para produção de energia, madeira e produtos florestais não-madeireiros.
* Utilização de espécies florestais em proteção e recuperação ambiental.
 
Resultados

O clone PR 255 de seringueira destaca-se em produtividade comparado aos clones de plantio tradicional em São Paulo e no Paraná (PB 235, RRIM 600, GT 1 e IAN 873), sendo recomendado para plantios piloto, em até 5% da área total de plantio.
O sistema agroflorestal seringueira x café no Arenito Caiuá, em seu aspecto de substituição de cafezais em declínio produtivo, resultou em diminuição média de 29% do tempo para início de produção de borracha em relação a plantios puros de seringueira, e aumento da sobrevida produtiva dos cafeeiros. No aspecto de convivência entra as duas espécies, destacam-se os espaçamentos de 13m x 4,0m x 2,5m (470 árvores de seringueira por hectare), se o foco principal for a manutenção de população produtiva de seringueira, e de 16m x 4,0m x 2,5m (400 árvores de seringueira por hectare e 3.850 plantas de café por hectare), como o mais favorável à produção de café, mantendo ainda uma densidade produtiva de seringueira. A proteção microclimática dos cafeeiros em relação à ocorência de geadas é um benefício indireto (ou serviço ambiental) deste sistema agroflorestal.
O programa introduziu espécies arbóreas alternativas potenciais para sistemas agroflorestais e recuperação de áreas degradadas, incluindo várias leguminosas arbóreas e outras espécies de rápido crescimento, fixadoras de nitrogênio ou não, em Estações Experimentais do IAPAR. Os resultados indicam, dentre outras, Acacia angustissima (1 procedência), Leucaena diversifolia (1 procedência), Acacia mangium (1 procedência), Acacia cincinnata (2 procedências), Acacia auriculiformis (2 procedências), como alternativas promissores para estabelecimento de sistemas agroflorestais e proteção do solo em áreas degradadas ou de baixa fertilidade no norte, noroeste, oeste e litoral do Paraná. Resultados de testes de procedências de Grevillea robusta no norte do Paraná mostraram significativos ganhos de produtividade com o uso de procedências introduzidas em relação ao material tradicionalmente plantado no Paraná. Experimentos com procedências de Casuarina equisetifolia e C. cunningahmiana estão também sendo conduzidos para a identificação de materiais potenciais.
Estudo sobre o potencial de plantios de seringueira na fixação de CO2 atmosférico, objetivando avaliar benefícios ambentais da espécie neste aspecto, e dar embasamento técnico a projetos para o mercado de crédito de carbono foram executados em convênio com instituições do Canadá e EUA, atestando a adequação ambiental do cultivo de Hevea brasiliensis no Paraná.

Projetos em Andamento

O Programa desenvolve atualmente oito projetos, de pesquisa temática e de apoio, em execução ou de término recente, distribuídos de acordo com as linhas prioritárias de atuação.
Recomendar esta página via e-mail: