Feijão

Líder do Programa: Wilson Paes de Almeida

O Que Faz

O Programa Algodão atua na geração, desenvolvimento e adaptação de tecnologias para a cotonicultura paranaense.
As ações do Programa estão direcionadas ao aumento da produtividade, diminuição de riscos e custos, aumento do lucro e preservação do ambiente e da saúde humana.
Dá ênfase a tecnologias poupadoras de insumos, a novos arranjos produtivos, opções mais econômicas e ambientalmente sustentáveis, visando dar maior estabilidade aos produtores e estimular o uso racional de capital, insumos e energia.


Principais Linhas de Pesquisa
 
Busca da independência genética pela obtenção de cultivares de alta produtividade, porcentagem e qualidade de fibra, com resistência múltipla a doenças e nematóides, e adaptação aos diferentes sistemas produtivos dos cotonicultores paranaenses
  • Aperfeiçoamento do manejo integrado de pragas e doenças na cotonicultura convencional e orgânica Manejo e uso adequado do solo e de insumos, e definição de arranjos espaciais de maior eficiência produtiva e ambiental
  • Mostras e validação de tecnologias para comprovação de eficácia e acelerarão de sua difusão e transferência para o meio rural
Resultados Recentes
  • Desenvolveu-se, pela primeira vez, um meio de cultura semi-seletivo para detectar a presença de Xanthomonas axonopodis pv. malvacearum em sementes do algodoeiro em laboratório. O uso do referido meio permite identificar lotes de sementes livres dessa bactéria.
  • Na área entomológica tem-se dado ênfase no controle cultural de broca-do-algodoeiro através do plantio-isca e no controle biológico de lagartas através de Bacillus thuringiensis var. Kurstaki e Bacillus thuringiensis subsp. azawai.
  • Cultivares IPR 140 e IPR JATAÍ, que se destacam pela estabilidade fenotípica, potencial produtivo, percentagem e qualidade de fibra, apresentando boa adaptação às colheitas manual e mecanizada. Na safra 2007/08 as cultivares IPR 140 e IPR JATAÍ serão plantadas quase exclusivamente para produção de sementes, mas estarão sendo apresentadas em eventos tecnológicos, como o Show Rural da Coopavel, Show do Arenito Caiuá, dias-decampo e unidades demonstrativas de cooperativas, entre outras.
  • Estarão sendo validadas ainda três linhagens em via de lançamento, com duplo objetivo: a PR 02-307, mais versátil para uso em espaçamentos estreitos, estará sendo testada em arranjos espaciais bem mais adensados que os usuais, participando de unidades de validação do plantio adensado – modelo que se mostra de grande potencial para pequenos e médios produtores – com avaliação da colheita mecanizada sistema ‘stripper’; as linhagens PR 03-801, de fibra longa, e PR 04-484, ambas mais precoces e adequadas à colheita manual terão o desempenho avaliado no sistema orgânico de produção algodão.
Projetos em Andamento
  • Geração e Síntese de Tecnologias para o Controle de Pragas do Algodoeiro
  • Obtenção de Cultivares de Algodoeiro de Alta Produtividade, Resistência Múltipla a Doenças e Adaptadas aos Sistemas Produtivos Paranaenses
  • Desenvolvimento de Cultivares de Algodoeiro com Alta Produtividade, Qualidade e Percentagem de Fibra e Resistência a Doenças
  • Identificação de Marcadores Moleculares (SSR) Fortemente Ligados a Gene(s) de Resistência a Ramularia areola em Algodoeiro Brasileiro
  • Estudo de Manejo Adequado de Solo para o Algodoeiro no Paraná
  • Adaptação Tecnológica no Cultivo do Algodoeiro para o Estado do Paraná – Cultivo Adensado do Algodoeiro
  • Estudos de Sobrevivência de Xanthomonas axonopodis pv. malvacearum nos Restos Culturais do Algodoeiro e seu Controle
Recomendar esta página via e-mail: