Informe de Pesquisa

 
IP-158 – Avaliação estatual de cultivares de milho safrinha 2009. Novembro 2009. Antonio Carlos Gerage, Pedro Sentaro Shioga, Pedro Mário de Araújo e Gustavo Hiroshi Sera. 52 p. -
 – download gratuito do arquivo em pdf

No Paraná o cultivo do milho safrinha foi bastante prejudicado por condições climáticas adversas. Na safra primavera/verão, a lavoura foi afetada por uma estiagem ocorrida do início de novembro até o final de dezembro em praticamente todas as regiões produtoras. Esperava-se que a segunda safra, de outono/inverno, pudesse recompor parte dos prejuízos. Os agricultores apostaram e plantaram mais de 1,5 milhões de hectares de milho safrinha no estado, área bem superior à safra anterior, mas o clima foi novamente adverso, causando mais perdas. As chuvas também foram intensas e acima da média histórica nos meses de junho a agosto. Diante desse quadro, a produtividade e as expectativas de produção do milho safrinha ficaram abaixo do esperado pelos produtores. Além dos fatores ambientais desfavoráveis, o momento é um dos piores para a comercialização, com preços muito baixos, atribuídos ao acúmulo de estoque que não se reduz, mesmo porque as expectativas de exportação estão aquém do esperado. Assim, a retomada de níveis satisfatórios não acontecerá no curto e médio prazos.

IP-157 – Avaliação estadual de cultivares de milho safra 2008/2009. Junho 2009. Pedro Sentaro Shioga, Antonio Carlos Gerage, Pedro Mário de Araújo e Gustavo Hiroshi Sera. 65p.
 – download gratuito do arquivo em pdf


O estado do Paraná contabilizou perdas de aproximadamente 30% na produção de milho na safra 2008/2009, resultado da forte estiagem que atingiu grande parte das regiões produtoras de milho durante os meses de novembro e dezembro. Segundo estimativas da Seab/Deral (13/04/2009), a área cultivada nesta safra foi de 1.256.869 ha, 9% menor que a da safra passada. A produção final deverá alcançar 6.075.561 t de grãos e a produtividade média 4.999 kg.ha-¹. As oscilações nos preços do produto no mercado e a falta de chuvas também marcaram a atual safra de milho. A avaliação do Informe de Pesquisa 157 foi feita baseada em experimentos instalados em várias localidades do Paraná, visando a assegurar diferentes condições edafoclimáticas e contemplar as principais regiões produtoras de milho.

IP-156 - de cultivares de milho safrinha - 2008. Nov/2008. Pedro S. Shioga, Antonio Avaliação estadual C. Gerage, Pedro M. de Araújo. 58p.
 -
download gratuito do arquivo em pdf


Inicialmente plantado apenas como complemento de renda para o agricultor, o milho safrinha ganhou status de cultivo fundamental para a estabilidade do mercado, sobretudo frente ao crescimento da avicultura de corte, e trouxe problemas e desafios tecnológicos. Este é o tema do Informe de Pesquisa “Avaliação estadual de milho safrinha” lançado em novembro de 2008, de autoria dos pesquisadores do IAPAR Pedro Shioga, Antonio Carlos Gerage e Pedro Mário de Araújo. A safra é também um desafio para a pesquisa agrícola em razão deste período apresentar condições relativamente adversas de clima como freqüente estresse hídrico, menor luminosidade, baixas temperaturas, eventualmente ocorrência de geadas, maior ocorrência de pragas e doenças. Por isso, avaliam os pesquisadores, esta segunda safra representa grandes desafios para o desenvolvimento de tecnologias e técnicas de manejo para melhor estabilidade e adaptabilidade das plantas de milho.

IP-155 - Efeito do nim (Azadirachta indica) sobre oídio e antracnose. Ago/2008. 14 p. (Solange M.T.P. Gomes Carneiro) - para aquisição R$6,00 ou
- download gratuito do arquivo em pdf

Esta publicação apresenta a ação do nim no controle de doenças do feijoeiro e do tomateiro. O nim (Azadirachta indica) tem sido estudado nas últimas décadas devido às substâncias inseticidas presentes em suas folhas e frutos, com potencial para o controle de patógenos de plantas. Entretanto, a maioria dos estudos já publicados abordava apenas o controle de doenças de culturas importantes da Europa e da Ásia. O Informe de Pesquisa nº. 155 é baseado em pesquisa realizada no IAPAR sobre a eficiência da planta no controle de algumas doenças em espécies de interesse para o Brasil. Foi observado o efeito do nim sobre o oídio do tomateiro, oídio do feijoeiro e a antracnose do feijoeiro, levando em conta os fatores que determinam tanto a eficiência da utilização quanto a dosagem, a época de pulverização, o patógeno alvo e a forma de extração.

IP-154 - Avaliação estadual de cultivares de milho safra 2007/2008. Julho/08 - 58p. (Pedro S. Shioga, Antonio C. Gerage e Pedro M. Araújo) - para aquisição R$6,00 ou
download gratuito do arquivo em pdf

 
O deslocamento de parte significativa do milho para produção de etanol nos EUA, associado ao aumento do consumo mundial de alimentos e aos valores elevados do petróleo têm sido responsabilizados pela alta geral nos preços dos alimentos, provocando preocupações em relação ao abastecimento. Por outro lado, a elevação dos preços do cereal no mercado interno tem estimulado os agricultores a aumentar a área de cultivo e ampliar o uso de tecnologias de ponta na cultura do milho. O Informe de Pesquisa nº. 154 traz a avaliação de diferentes cultivares de milho, originários de germoplasma temperado e tropical, mais adaptadas a cada ambiente e com boa resistência a pragas e doenças, contribuindo para o processo de escolha e posicionamento das cultivares nas regiões produtoras de milho.

IP-153 - Avaliação Estadual de Cultivares de Milho Safrinha 2007. Novembro/07 - 46 p. (Pedro Sentaro Shioga, Antonio Carlos Gerage e Pedro Mário de Araújo).
- para aquisição R$6,00 ou
download gratuito do arquivo em pdf

 
A expectativa de bons preços do milho, por conta de um desequilíbrio na oferta e demanda do mercado mundial aliado aos bons resultados obtidos na safra passada, estimularam o aumento de área de cultivo do milho safrinha no Paraná, alcançando um recorde de 1,47 milhões de hectares plantados. Essa expectativa realmente se confirmou e ótimos preços foram obtidos pelos agricultores no momento da colheita e comercialização do milho. Os aspectos negativos durante o desenvolvimento da cultura foram a ocorrência de geada precoce registrada no final de maio, que atingiu parte das lavouras nas regiões Oeste e Centro-Oeste em plena fase de enchimento de grãos, e o período de estiagem que afetou a cultura na região Norte. Por isso, as perdas estimadas foram de aproximadamente um milhão de toneladas de grãos. Mesmo assim, a produtividade média alcançada foi de 3.565 kg.ha-1, resultando na produção total de 5.046.236 t de grãos, volume superior ao obtido na safra passada, segundo estimativas da SEAB/DERAL (20/08/07).

IP-152 - Avaliação estadual de cultivares de milho safra 2006/2007. Julho/07-53p. (Pedro Sentaro Shioga, Antonio Carlos Gerage e Pedro Mário de Araújo) - para aquisição R$6,00 ou
download gratuito do arquivo em pdf
 

O novo enfoque do milho como fonte alternativa de energia, em virtude de sua utilização como matéria-prima para a produção de etanol, tem exercido forte pressão na demanda, com conseqüente elevação dos preços no mercado mundial, gerando expectativas animadoras para o cultivo do cereal no Brasil. Segundo dados obtidos junto ao SEAB/DERAL, a área de cultivo alcançou nesta safra 1.316.965 ha, inferior à safra passada, que atingiu 1.507.280 ha. As condições climáticas predominantes no Paraná foram favoráveis para o desempenho da cultura do milho, o que se comprova pela produção e produtividade obtidas. O trabalho avalia cultivares de milho em diferentes ambientes, visando fornecer subsídios para o processo de seleção das cultivares.

IP-151 - Avaliação estadual de cultivares de milho safrinha 2006. Novembro/06 - 28p. (Antonio Carlos Gerage, Pedro Sentaro Shioga e Pedro Mário de Araújo) - para aquição R$6,00 ou
download gratuito do arquivo em pdf


Apesar dos preços pouco atrativos que vigoraram no início desta safra, a área plantada com milho safrinha no estado do Paraná aumentou, alcançando 955.336 ha, segundo dados da SEAB/DERAL. O acréscimo foi de 32% em comparação com o ano anterior, em virtude das condições climáticas favoráveis no início da safra, que estimularam o plantio de milho. Por outro lado, os baixos preços nas cotações continuaram exercendo influência na redução de investimento em tecnologia na cultura. O objetivo do trabalho foi avaliar cultivares de milho em diferentes ambientes, visando fornecer subsídios para o processo de seleção das cultivares mais adaptadas às condições de cultivo do milho safrinha. Os experimentos foram implantados em Londrina, Sertanópolis, Primeiro de Maio, Cafeara, Cambará, Campo Mourão, Goioerê, Palotina e Santa Helena, municípios situados nas principais regiões de cultivo do milho segunda safra.

IP-150 - Avaliação estadual de cultivares de milho safra 2005/2006. Junho/06 – 55p. (Antonio Carlos Gerage, Pedro Sentaro Shioga e Pedro Mário de Araújo)
 - para aquisição
R$6,00

Previsões otimistas realizadas por analistas de mercado em relação aos preços de milho no mercado futuro, aliadas às baixas expectativas dos preços da soja, contribuíram para o aumento no cultivo do milho na safra 2005/2006 no Paraná. Diferentemente do que vinha ocorrendo nos anos anteriores, houve aumento substancial na área de cultivo do cereal na safra normal, principalmente nas regiões Norte e Oeste, possibilitando maior diversificação da espécie no cultivo de verão. Segundo dados da SEAB/DERAL, a área total na safra alcançou 1.529.331 ha. As condições climáticas mais uma vez não foram tão favoráveis para o desempenho da cultura do milho em algumas regiões do estado, principalmente pela distribuição irregular das chuvas.

IP-149 - Avaliação estadual de cultivares de milho "safrinha" – 2005. Nov/2005. 28 p. (Antonio Carlos Gerage, Pedro Sentaro Shioga e Pedro Mário de Araújo)
 - download gratuito do arquivo em pdf

A área plantada com milho nesta segunda safra não atingiu a estimativa inicial que previa mais de 1,2 milhão de hectares. Segundo dados da SEAB/DERAL ficou próximo de 700 mil hectares em virtude de dois fatores determinantes: a estiagem nos meses de fevereiro e março nas principais regiões produtoras, período de maior concentração de plantio, e os preços pouco atrativos do grão. Este último foi responsável pelo menor investimento em tecnologia, principalmente pela utilização de sementes de menor custo e redução no uso de fertilizantes nas lavouras. As condições climáticas predominantes no período de cultivo, além da escassez de precipitação nos meses de fevereiro e março, foram caracterizadas por um inverno com temperaturas mais elevadas e sem ocorrência de geadas nas regiões produtoras. Com o objetivo de auxiliar a indicação de cultivares adaptadas aos diferentes locais e regiões, o trabalho apresenta avaliação do comportamento de um grupo de genótipos indicados pelas empresas obtentoras e/ou produtoras.

IP-147 - A broca-do-abacate (Stenoma catenifer) apectos biológicos, comportamento, danos e manejo. Maio/06 - 20p. (Celso Luiz Hohmann e Ana Maria Meneguim)
- para aquisição
R$6,00 ou
download gratuito do arquivo em pdf

A cultura do abacateiro é uma atividade agrícola com grande potencial para o Paraná, tendo adquirido relativa importância econômica particularmente na região norte do estado. Nas duas últimas décadas a broca do fruto, Stenoma catenifer, tornou-se um fator restritivo à exploração do abacateiro, devido à severidade com que ocorre nos pomares paranaenses e às dificuldades encontradas em seu controle. O fato de os danos serem diretos no fruto e a indisponibilidade de inseticidas registrados para o controle da praga no Paraná tem levado agricultores a encerrar a atividade. Com base em estudos desenvolvidos por pesquisadores do IAPAR, a presente publicação traz informações sobre o manejo adequado da broca do fruto, procurando integrar medidas culturais e biológicas com o objetivo básico de minimizar os prejuízos causados pela praga.

IP-145 - Avaliação estadual de cultivares de milho "Safrinha" - 2004. Nov/04 - 32p. (Antonio Carlos Gerage, Pedro Sentaro Shioga e Pedro Mário de Araújo) - para aquisição R$5,00

A segunda safra paranaense de milho no ano de 2004 foi marcada pela ocorrência de eventos climáticos extremos em fases importantes da cultura. Como resultado, os números finais de produção e produtividade foram modestos, somando-se a uma baixa qualidade nos grãos colhidos, com expressivos percentuais de ardidos e densidade aquém do esperado. Constatou-se redução de área de plantio em torno de 15% em relação a 2003, passando para 1.162.370 ha. Os fatores que mais contribuíram para o baixo desempenho da cultura em termos de produtividade foram a falta de precipitações no início do desenvolvimento, o excesso de chuvas nos meses de maio e junho, a baixa luminosidade na época de maior exigência de luz e a formação de geadas de intensidade moderada a forte nos meses de junho e julho.

IP-137 - Mecanização do plantio direto. Problemas e soluções. Jan/2001. 18 p. (Augusto G. Araújo, Rui Casão Jr, Rubens Siqueira)
 - download gratuito do arquivo em pdf

A adoção do plantio direto requer do produtor maior atenção e conhecimento em relação ao preparo convencional porque, com o passar do tempo, as condições locais de solo e de manejo da propriedade ganham importância na evolução do sistema, influenciando o desempenho das máquinas. Mecanização do Plantio Direto – Problemas e Soluções visa auxiliar produtores e técnicos na compreensão dos problemas mais freqüentes com máquinas para plantio direto, especialmente semeadoras-adubadoras. As informações apresentadas neste Informe de Pesquisa foram coletadas e discutidas com produtores de várias regiões do Paraná e com as principais indústrias nacionais, tendo a avaliação realizada por projetos de pesquisa da Área de Engenharia Agrícola do IAPAR.

IP-134 - Recuperação de pastagens no Noroeste do Paraná. Bases para plantio direto e integração lavoura e pecuária.Fev/2000. 96 p. (Elir de Oliveira, Garibaldi B. de Medeiros. Felipe Marun, José C. de Oliveira, José P. G. de Sá, Arnaldo C. Filho, Walter M. Kranz, Nelson F. da Silva, José J. dos S. Abrahão, Valdir L. Guerini, Gervásio L. de Martin)
 - download gratuito do arquivo em pdf

Esta publicação traz os resultados preliminares do projeto "Estudos de recuperação de áreas de pastagens na região Noroeste do Paraná", obtidos no período de 1997 a 1999. A região possui 3,2 milhões de hectares e abrange 107 municípios, sendo 72% de sua área formada por pastagens. O projeto visou auxiliar assistência técnica e produtores na tomada de decisões para iniciar ou dar prosseguimento ao processo de recuperação de áreas de pastagens degradadas, com o emprego de rotação de culturas em sistema de plantio direto na palha. Atende também a necessidade da integração lavoura e pecuária, estabelecendo ciclos de lavouras para produção de grãos e forragens em alternância com ciclos de pastagens semi-perenes de alta qualidade e produtividade, em benefício da produção animal e melhoria do uso da terra.

IP-132 - Arenito Caiuá – Capacidade de lotação de pastagens. Set/99 – 15p. (José Pedro Garcia Sá e João Henrique Caviglione)
- para aquisição
R$4,00 ou
download gratuito do arquivo em pdf

O arenito Caiuá ocupa 16% da área total do Paraná e é a mais importante região pecuária paranaense, com 2,3 milhões de hectares de pastagens, que suportam 36,5% do rebanho bovino do estado. No entanto, apresenta solos com alta suscetibilidade à erosão, que devido a sua fragilidade e manejo encontra-se em adiantado grau de degradação física e química com níveis críticos de matéria orgânica. A consequência mais sentida da degradação das pastagens é a substituição das espécies forrageiras nobres por invasoras. Arenito Caiuá – Capacidade de lotação de pastagens, do pesquisador José Pedro Garcia Sá, é uma proposta de cálculo para estimar a capacidade de lotação das pastagens da região, sob a forma tecnicamente mais apropriada, em UA (unidade animal) por hectare. Caracteriza-se por utilizar informações estatísticas de diversas fontes e, principalmente, por ter tomado como referência a lotação de 1,20 UA por hectare de pastagem.

IP-122 - Leucena - Resultados de Pesquisa no Norte do Paraná – Junho/97 – 32p. (José Pedro Garcia Sá)
 - para aquisição
R$4,00

A leucena é uma leguminosa de alto potencial forrageiro. Tem porte arbustivo a arbóreo, é rica em nutrientes, altamente palatável e não se desenvolve bem em solos ácidos. A planta pode atingir uma altura inacessível aos animais e, se consumida em excesso, pode causar intoxicações, características que representam dificuldade para seu manejo. Na região Norte do Paraná, os trabalhos com leucena tiveram início em 1975, com a introdução das coleções de forrageiras nas Estações Experimentais do IAPAR. Esta publicação sintetiza as informações geradas por vários pesquisadores da instituição neste período, abordando os diversos aspectos relacionados ao crescimento da leucena, o rendimento e o valor nutritivo da forragem produzida em diferentes condições de solo e clima do Norte do estado.

IP-121 - Amarelinho– Biologia e controle. Mai/97- 9p.(Walter Miguel Kranz e Telma Passini)
 - para aquisição
R$4,00 ou
download gratuito do arquivo em pdf


A expansão da espécie conhecida como amarelinho - Tecoma stans (L.) Kunth - nas pastagens do Paraná e a falta de informações sobre o seu controle vêm preocupando pecuaristas e técnicos ligados ao setor agropecuário. Como planta invasora, a estimativa era de que em 1996 estivesse presente em cerca de 50 mil hectares de pastagens, dos quais aproximadamente 10 mil hectares seriamente comprometidos. Como o custo para a erradicação é alto e a reinfestação é freqüente, as áreas são abandonadas e o problema se agrava. As informações contidas neste Informe de Pesquisa, abrangendo locais e intensidade de ocorrência, dados fenológicos e métodos de controle, poderão orientar a erradicação e prevenção do amarelinho no Paraná.

IP-120 - Pragas da canola. Bases preliminares para manejo no Paraná. Set/96. 16 p. (Nei Lúcio Domiciano, Bráulio Santos)
 - download gratuito do arquivo em pdf

A canola é originária de uma seleção de cultivares de colza que possui cerca de 45% de óleo no grão e 35% de proteína no farelo.. O cultivo dessa brássica no estado do Paraná teve impulso a partir de 1991, principalmente por se apresentar como alternativa econômica para rotação de cultura com o trigo e outros cereais no outono-inverno. O levantamento apresentado neste Informe traz revisões bibliográficas e procura estruturar o manejo de pragas da canola no estado do Paraná. Tem como ponto de partida a definição das pragas principais, secundárias e potenciais; a estimativa do momento adequado ao controle das pragas com inseticidas e aplicação de outros princípios de manejo integrado, no sentido de minimizar, racionalizar e otimizar a utilização de produtos agrotóxicos. Tais informações são expostas com o objetivo de auxiliar técnicos e agricultores nas decisões de controle das pragas da canola.

IP-119 - Antracnose do morangueiro ("flor preta") causada por Colletotrichum acutatum. Out/96. 11 p. (Bernardo Ueno)
 - download gratuito do arquivo em pdf

A antracnose do morangueiro, também conhecida como "flor preta", foi encontrada em várias localidades produtoras de morangueiro no estado do Paraná no ano de 1996. Observações feitas em cultivos de morangueiro dos municípios de Londrina, Ibaiti e Pinhalão mostraram que essa doença pode causar sérios prejuízos para a cultura, pois ataca diretamente as flores e frutos, provocando grande queda de produção. Nestes locais, a doença estava associada principalmente com a cultivar IAC-Campinas, em plantios de mudas produzidas no Paraná e também provenientes de outros estados. O objetivo deste trabalho é fornecer esclarecimentos sobre a doença, abordando seu histórico, agente causal, sintomas, epidemiologia e medidas de controle.

IP-67 - Quebra-ventos arbóreos. Aspectos fundamentais de uma técnica altamente promissora – Julho/86. 27 p. (Alex Carneiro Leal)
 -  download  gratuito do arquivo em pdf

Os sistemas aerodinâmicos de quebra-ventos são uma técnica importante para o controle do microclima e propiciam uma melhoria nas condições ambientais, com reflexos nas produtividades agrícola e pecuária. Algumas doenças vegetais, como por exemplo o cancro cítrico e a mancha aureolada do café, são controladas eficientemente com a instalação dessas estruturas, que também produzem matéria prima florestal e embelezam a paisagem. Como no Brasil muito pouco se conhece sobre os princípios básicos desta tecnologia, bastante pesquisada e utilizada em outros países, realizou-se esta revisão bibliográfica com o objetivo de divulgar os conhecimentos já existentes, e contribuir para o aumento da utilização de sistemas aerodinâmicos de quebra-ventos no Paraná. As informações coletadas objetivam também orientar na instalação dessas estruturas dentro de critérios mínimos de racionalidade, maximizando seus benefícios.
Recomendar esta página via e-mail: