PARANÁ

17/10/2019

Conhecidos os finalistas do Prêmio Café Qualidade Paraná

(Conhecidos os finalistas do Prêmio Café Qualidade Paraná17/10/2019) Terminou nesta quinta-feira (17) o julgamento dos 55 lotes finalistas do Prêmio Café Qualidade Paraná 2019, realizado no Centro de Qualidade do Café do IAPAR, em Londrina. Os vencedores do certame serão divulgados, e premiados, na próxima semana, em Ivaiporã.

A 17ª edição do concurso teve início com 120 lotes, originários de praticamente todas as zonas produtoras do Paraná, informa o economista Paulo Franzini, coordenador do certame e integrante da Câmara Setorial do Café do Paraná.

REGULAMENTO – Os concorrentes podem disputar nas categorias cereja descascado  – ou “via úmida”, em que a polpa do grão maduro é retirada para diminuir o tempo no terreiro – e natural ou “via seca”, em que o grão vai inteiro para secagem.

O cafeicultor interessado em participar do certame faz a inscrição em um escritório da Emater-PR. São aceitos até dois lotes por produtor, um em cada categoria, com o mínimo de uma e o máximo de cinco sacas de 60 quilos do produto beneficiado. Este ano, apenas a região Oeste não inscreveu concorrente.

Os lotes inscritos passam pelo crivo de uma comissão julgadora e recebem notas nos quesitos aroma, doçura, acidez, corpo, sabor, gosto remanescente e balanço da bebida. Os mais bem classificados seguem para a prova final e são novamente avaliados, agora por outro grupo de provadores.

Franzini explica que os cinco primeiros classificados de cada categoria têm garantida a compra pelos patrocinadores do certame, ao valor praticado pela BM&F no dia 23 de outubro, acrescido de 30%.

SUSTENTABILIDADE – Ao fazer a inscrição, o cafeicultor pode também optar por uma avaliação da sustentabilidade da produção de seu lote, e ter então sua propriedade auditada por um profissional da Emater-PR. Os três produtores mais bem avaliados nesse quesito também são premiados.

FINALISTAS – Em ordem alfabética, são finalistas na categoria cereja descascado os cafeicultores Cornelia Margot Gamerschlag (Santa Mariana), Donizetti Soares (São Jerônimo da Serra), Evilasio Shigueaki Mori (Cambira), Fábio Dória Scatolin (Ribeirão Claro), Guilherme Henrique Fiorucci (Cambira), José Sendeski Neto (Iguaraçu), Juarez Colatino de Barros (São Jerônimo da Serra), Leandro Cézar Soares (São Jerônimo da Serra), Maria Aparecida Maciel (Japira), Maristela Fátima da Silva Souza (Tomazina), Orlando von der Osten (Cornélio Procópio), Pabro Ribeiro dos Santos (Congonhinhas), Pâmela Ribeiro Mateus (Congonhinhas), Renee Von Der Goot (Carlópolis), Ricardo Batista dos Santos (Congonhinhas), Rogério Peres Penha (Ibaiti), Sandra Aparecida de Freitas Godoi (Tomazina), Sirlei de Fátima da Cruz Carvalho (Siqueira Campos), Vagner de Freitas Gonçalves (Tomazina), Valdeir Luiz de Souza (Tomazina), Valdir Constantino da Silva (São Jerônimo da Serra) e Vanessa Rosa de Souza (Tomazina).

Na categoria café natural chegaram à etapa final os produtores Aldenice da Silva Soares (São Jerônimo da Serra), Amarildo Estevam Barbosa (Jardim Alegre), Antonio Ronaldo da Silva (Apucarana), Claudeir Marcos de Souza (Pinhalão), Claudinei de Carvalho Nunes (Congonhinhas), Edson Messias de Carvalho (Joaquim Távora), Eloir Inocência Nogueira de Souza (Tomazina), Evilasio Shigueaki Mori (Cambira), Fábio Dória Scatolin (Ribeirão Claro), Fernando Lopes (Mandaguari), Giovani Rosseto (Mandaguari), Glaucia Daniela Mendes Oliveira (Joaquim Távora), Guilherme Henrique Fiorucci (Cambira), Jorge Souza Augusto (Cambira), José Eduardo Correa Ferraz (Ribeirão Claro), José Sendeski Neto (Iguaraçu), Marcia Cristina da Silva Costa (Tomazina), Marcio de Godoi (Tomazina), Marcio Rosa Fávaro (Ivaiporã), Maristela Fátima da Silva Souza (Tomazina), Mauro Kiniti Sato (Apucarana), Pabro Ribeiro dos Santos (Congonhinhas), Paulo Sérgio Lopes (Mandaguari), Renee Von Der Goot (Carlópolis), Ricardo Batista dos Santos (Congonhinhas), Rogério Lopes (Mandaguari), Rosa Moreira do Carmo dos Santos (Cambira), Tumoru Sera (Congonhinhas), Valdeci Siqueira Teixeira (Ivaiporã), Valdecir de Souza (Ivaiporã), Walter Marcomini (Ivaiporã) e Welliton Nelson Sgorlon Marques (Pitangueiras).

JURI POPULAR – Os apreciadores de café poderão degustar os lotes finalistas da edição 2019 do prêmio Café Qualidade Paraná nesta sexta-feira (18), em um “Juri Popular” que será realizado no Centro de Qualidade de Café do IAPAR, a partir das 14 horas. A inscrição é gratuita, mas deve ser feita antecipadamente pelo e-mail eventos@iapar.br.

REALIZAÇÃO – Patrocinado pela Faep/Senar, Bratac, BRDE, Sebrae, Sistema Ocepar e Cooperativa Integrada, o Prêmio Café Qualidade Paraná é uma realização da Associação dos Engenheiros Agrônomos de Londrina, Câmara Setorial do Café do Paraná, Prefeitura de Ivaiporã e Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná – por intermédio de suas vinculadas Emater-PR e IAPAR. Conta ainda com o apoio da Associação Brasileira da Indústria do Café (Abic), Banco do Brasil, Cocari, Cocamar, Copacol, Crea-PR, Equipamentos Probat Leogap, Fetaep, Itaipu, Olam Specialty Coffee, Sanepar, Sistema Faep e Sociedade Rural do Paraná (SRP).

Serviço:
Juri Popular do Prêmio Café Qualidade Paraná 2019 – degustação dos cafés finalistas
Local: Centro de Qualidade de Café, situado na sede do IAPAR, em Londrina-PR (Rodovia Celso Garcia Cid, km 375, saída para Curitiba)
Data: 18 de outubro (sexta-feira)
Horário: 14 horas

Prêmio Café Qualidade Paraná – Solenidade de Premiação
Local: Scaramal Eventos – Estrada Ouro Verde, km 1 – Ivaiporã-PR
Data: 24 de outubro (quinta-feira)
Horário: 9 horas

Serviço de Imprensa do Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR)
Edmilson Gonçales Liberal (MTb 4782/PR)
(43) 3376-2465 | imprensa@iapar.br
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.