PARANÁ

20/07/2017

Agricultores têm o apoio do Estado para diversificar a produção

Agricultores têm o apoio do Estado para diversificar a produção(20/07/2017) O governador Beto Richa afirmou nesta quinta-feira (20), ao participar da abertura do 34° Encontro Estadual de Sericicultores, que os pequenos agricultores podem contar com o apoio do Governo do Estado para diversificar suas propriedades e ampliar a rentabilidade.

“Os agricultores contribuem para a produção da riqueza do Paraná. Nada mais inteligente do que estimular, apoiar e dar melhor condição de trabalho aos agricultores, para fortalecer cada vez mais a economia, principalmente no Interior do Estado”, afirmou, destacando a excelência da produção da seda no Paraná, reconhecida internacionalmente.

O Estado é responsável por 84% da produção nacional de casulo do bicho-da-seda e de fios de seda – a maior parte direcionada à exportação. A atividade é uma alternativa de diversificação da propriedade, que garante renda durante nove meses do ano. Ela movimenta R$ 40 milhões por ano, está presente em 165 cidades paranaenses e é desenvolvida por 1.860 criadores.

ENCONTRO – Promovido pelo Governo do Estado, Bratac e prefeitura de Rondon, o Encontro Estadual de Sericicultores reuniu 1.400 produtores para o debate de novas tecnologias para aumentar a produtividade e a renda dos produtores.

Richa também ressaltou a importância da orientação técnica levada aos produtores pelo Instituto Emater, IAPAR, Secretaria de Agricultura da Agricultura e do Abastecimento e a Universidade Estadual de Londrina, além da indústria Bratac.

O prefeito de Rondon, Ailton Alfredo Valotto, afirmou que é fundamental reforçar as parcerias para a divulgação e fortalecimento do setor sericícola. “A Secretaria da Agricultura apoia nossos produtores, inclusive com trabalho a custo zero nas lavouras. Uma propriedade diversificada gera renda aos pequenos e médios produtores”, disse.

DESTAQUE - O presidente da Emater, Rubens Ernesto Niederheitmann, explicou que o Paraná é destaque não só pelo volume de produção, mas também pela qualidade. “Isso é fruto do trabalho dos sericicultores e dos técnicos que atuam na parte de manipulação e manejos dos bosques e das sementes dos casulos para chegar a essa qualidade.”

A sericicultura brasileira, reforçou o presidente da Bratac, Shigueru Taniguti Junior, é conhecida como atividade que integra toda a cadeia produtiva e envolve o poder público e universidades. A empresa é a única indústria do setor, que fomenta a produção de casulos, extrai o fio e exporta. Segundo ele, atualmente há uma maior demanda por fios de seda e ainda falta muita matéria-prima.

O deputado estadual Jonas Guimarães participou do encontro.


Agência de Notícias do Paraná | Foto: Arnaldo Alves
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.